Exemplo dos pais reflete no aprendizado das crianças

     O verdadeiro aprendizado começa dentro de casa. Quando os pais estimulam as crianças desde cedo e acompanham a vida escolar, os filhos desenvolvem o raciocínio com mais facilidade, aprendem de maneira natural, conseguem obter notas mais altas e adquirem o prazer do conhecimento ao longo de toda vida.

     A interação adequada entre pais e filhos proporciona segurança e amplia os vínculos afetivos, o que repercute na melhor formação do indivíduo. E isso tudo só é possível quando se estabelece um canal de comunicação aberto. Quando você ouve seu filho, ele se sente apoiado e prestigiado, tem motivação para aprender e aproveitar todas as oportunidades que a escola oferece”. Segundo uma pesquisa do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), de São Paulo, apenas incentivar o jovem a fazer as tarefas de casa, ir à escola todos os dias, providenciar um local adequado para que ele estude e comparecer às reuniões de pais já é suficiente para aumentar as notas em cerca de 15%. Viu como a ajuda pode ser simples? Então, mãos à obra.         Confira as dicas da pedagoga e saiba como participar ativamente da educação do seu filho:

1) Estimule o aprendizado e a autonomia – proponha jogos e pequenas ações que estimulem o raciocínio, novas pesquisas e atividades. Além da magia da descoberta, seu filho perceberá que também pode contribuir para obter novos conhecimentos. Convidar as crianças e os jovens para ajudar em pequenas tarefas domésticas pode ser um bom momento de troca e aprendizado.

2) Esteja presente na escola de seu filho – falta de tempo não pode ser uma desculpa.   Priorize sua participação nas atividades e na comunidade escolar. Isso traz segurança aos filhos,   estreita os laços afetivos e você conhece o grupo de pessoas com quem ele interage.

3) Crie uma rotina de estudos em sua casa – isso também requer organização. Crie o hábito de estudos, mas evite o excesso de atividades e cobranças. Seja firme no momento certo, mas reconheça os esforços. Lembre também que criança precisa de tempo para brincar, enquanto os jovens gostam de estar com outras pessoas da mesma idade e pertencer a determinados grupos.

4) Interaja e dê o exemplo – seu filho trouxe uma atividade diferente, como a tarefa de casa? Envolva-se com o trabalho, mas não o faça por ele. Auxilie em questões pontuais e elabore perguntas que o ajudem a encontrar as respostas. A proposta é a leitura de um livro? Aproveite, pegue sua obra de cabeceira e reserve um tempo para ler juntos.

5) Dialogue e demonstre interesse – esteja disposto a ouvir e promova o diálogo. Escute com atenção, olhe para os filhos e dê importância à fala das crianças e jovens. Afinal, ninguém gosta de ser ignorado ou ter a sensação de que “minhas atividades não interessam para os demais membros da família”.

6) Respeite as diferenças – conhecer o ritmo de aprendizagem de cada filho é importante. Isso reflete na maneira em como os pais vão conversar com cada indivíduo, orientar, estimular e cobrar do jeito certo. As crianças são diferentes e tem processos de maturidade que divergem uns dos outros.

Fonte: UP / Central Press Data: 01/06/2017