Lição de Casa Também é Lição da Família
Família e Escola em Prol de um Aprendizado Real do Aluno

            Depois de um dia exaustivo de trabalho, chegar em casa, tomar um banho e descansar parecem ser as melhores alternativas. 
      Mas isso nem sempre acontece, pois há inúmeras tarefas domésticas que precisam ser executadas como se fossem um exaustivo “segundo turno”. 
            Isso é relativamente evidente, pois a casa precisa ser limpa, as roupas precisam ser lavadas e passadas, a comida tem que ser feita, enfim, mesmo após o dia de trabalho externo, ainda há muito para ser feito dentro de casa.   
            Contudo, a essas responsabilidades é somada uma muito mais importante: os filhos que, por ali, aguardam a atenção de seus pais! 
            Muito mais necessário do que a louça para lavar ou do que assistir ao telejornal para se atualizar, cada criança precisa da presença e dedicação de sua família, nem que seja por um curto e proveitoso momento.
            Perguntar como foi o dia dela, o que fez de mais interessante e o que aprendeu na escola são comportamentos que precisam ser integrados à rotina de cada lar.
            Além disso, não dá para se esquecer de questioná-la, também, sobre a lição que a escola solicitou que fosse resolvida em casa!
            Esse é um dos momentos mais temidos pelos pais, pois, como já estão cansados, nem sempre se sentem com energia para ajudar as crianças a desenvolverem um pensamento criativo e curioso até que elas, por si mesmas, cheguem à solução de algum desafio passado pela escola.
            Apesar disso, sabe-se que a Lição de Casa é de grande importância na vida do aluno e, por mais simples que seja, é uma extensão do conteúdo aplicado em sala de aula. 
            É também uma forma de o aluno/filho verificar se realmente aprendeu, pois, durante a realização da atividade em casa, a criança, longe de seus professores e próxima a sua família, tem a oportunidade de comprovar seus conhecimentos que foram estimulados pela escola. 
            Há, contudo, um equívoco que muitas famílias comentem nesse aspecto.           Muitas delas pensam que cumprem seu “dever de casa” apenas mandando o filho fazer, sozinho, a lição que a escola lhe passou.
            Isso está muito longe de ser o suficiente, pois a participação da família é fundamental em todo o processo, dado que é por meio dele que a criança terá a chance de ver sua atividade ser pensada de modo diferente do que ocorre em sala de aula.
            Esse novo “olhar” para os exercícios que ela aprendeu com os professores possibilitará que, desde muito pequenos, os alunos identifiquem a ligação entre o que aprendem na escola e o que vivem fora dela. 
            E os benefícios de a família cumprir satisfatoriamente seu “dever de casa” de acompanhar seus filhos nas atividades escolares não param por aqui!
            Com uma participação efetiva dos pais ou responsáveis, será fácil perceber se ela realmente entendeu o conteúdo de uma determinada disciplina ou, ainda, se apresenta alguma dificuldade.

           Com isso, cada família terá uma valiosa chance se aproximar-se mais da escola e entender o cotidiano escolar de seus filhos, ajudando os professores a identificarem possíveis pontos que precisam ser melhorados em relação a algum ponto específico. 
            E ainda tem mais! Quando a criança percebe sua família interessada em sua vida escolar, sente-se mais segura e, consequentemente, passa a apresentar um desenvolvimento cada vez mais satisfatório. 
            É assim que se aprende, ou seja, família e escola juntas para promover um aprendizado real e prático a cada aluno.

 

Daniele Vilela Leite Coordenadora Educacional na empresa Planneta; Formada em Serviço Social pela Univap; Larga experiência em trabalhos relacionados à Educação.